As Vantagens de Ser Invisível

Imagem

As Vantagens de Ser Invisível

Autor: Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Ano: 2012
Edição: 2ª
Páginas: 223
Original: The Perks of Being a Wallflower.

A narrativa deste livro é um pouco diferente. É exposta apenas em cartas (no estilo de um diário. A primeira é datada de agosto de 1991) narradas em primeira pessoa por Charlie, um adolescente que está cursando o primeiro ano do ensino médio, uma experiência difícil, que torna-se ainda mais complexa quando seu melhor e único amigo comete suicídio.

Estas cartas são endereçadas um anônimo, que sempre é tratado por “querido amigo”. Apesar de seu dia-a-dia ser monótono, sua narrativa é preenchida de emoções, desabafos e um coletivo de experiências. Seu senso de observação é muito intenso, rendendo comentários ingênuos e observações engraçadas nas cartas, alternando momentos entre a apatia e a excitação.

Charlie é solitário. Helen, sua tia preferida, morreu. Sua irmã mais velha não liga para ele, pois acha que já tem seus próprios problemas. Seu irmão mais velho não mora mais em casa, uma vez que passou para a faculdade em outra cidade. Seus pais o tratam com extrema cautela e distanciamento, temendo alguma reação incontrolável.

A vida de Charlie muda após conhecer Bill, um professor que alimenta seu potencial, para que sempre leia o melhor da literatura. Sam, a garota por quem se apaixona e Patrick, meio irmão de Sam, que guarda um segredo e faz com que Charlie participe dele também. A amizade dos três fortalece-se a cada dia, fazendo com que Charlie sinta-se infinito. Neste cenário de festas, drogas e grunge, Charlie ingressa em um mundo diferente de sua habitual rotina.

Algumas referências culturais do início da década de 90 são apresentadas nesta história. No campo musical, Kurt Cobain do Nirvana despontava como líder da banda grunge. A música favorita de Charlie é Asleep do The Smiths.

No campo literário, Bill indica a Charlie que leia obras como “O Apanhador no Campo de Centeio” (e neste momento, senti-me como Charlie, pois estava lendo em paralelo o mesmo livro, descrito neste post aqui).

Stephen Chbosky aborda os temas da adolescência de maneira simpes, e com um olhar carismático sobre as questões de sexo, drogas, gravidez, suicídio e homossexualidade. E principalmente, este livro fala sobre a importância do primeiro amor.

A leitura é rápida, fluida e agradável. Ainda não vi o filme (adaptado para o cinema em 2012), mas depois que li este livro, tive a certeza que tornei-me infinita.

Destaque:

“Quando estava indo para casa, só conseguia pensar na palavra “especial”. E pensei que a última pessoa que me disse isso foi a tia Helen. Foi muito bom ter ouvido isso novamente. Porque eu acho que todos nós nos esquecemos às vezes. E eu acho que todo mundo é especial à sua própria maneira. É o que eu penso”.

Anúncios

Sobre carolinayji

Desde que me conheço por gente, há algumas décadas, sou eu.
Esta entrada foi publicada em Stephen Chbosky. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s